quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Executivo da EA é contra processar gamers piratas

Peter Moore, responsável pela divisão de jogos EA Sports, da Electronic Arts, afirmou em entrevista ao site Eurogamer que não apóia processos contra usuários que baixem conteúdo pirata.

O executivo afirma que o modelo não funcionou para a indústria da música e que acredita haver uma maneira melhor de contornar o problema com o poder como desenvolvedores e distribuidores.

"Eu não sou um grande fã de tentarmos punir nossos consumidores", explicou, acrescentando que ainda assim é preciso encontrar soluções. "Absolutamente deveríamos derrubar a pirataria. As pessoas colocam um monte de sangue, suor e lágrimas em seu conteúdo e merecem ser pagas por isso. É absolutamente errado, é roubo", enfatizou.

Como proposta, Moore acredita que as desenvolvedoras devam criar soluções alternativas à caçada de internautas por dinheiro, algo que invalide a experiência de jogo em títulos pirateados. "Se aprendemos qualquer coisa com o negócio de música, é que eles não ganharam nenhum amigo processando seus consumidores", constatou.

As declarações vieram pouco depois da convenção de jogos em Leipizig, Alemanha, em que cinco companhias de games anunciaram que processariam 25 mil jogadores que compartilharam títulos piratas. Entre elas estavam a Atari, a Codemasters, a Reality Pump, a Techland e a Topware Interactive, noticiou o site GamesIndustry.biz.

A pirataria de jogos eletrônicos está na ordem do dia dos desenvolvedores de todas as grandes empresas de games, que têm dado declarações incisivas nas últimas semanas. Há alguns dias, Todd Hollenshead, CEO da desenvolvedora de jogos id Software, acusou a indústria de hardware de comemorar a pirataria de software porque esta ajudaria nas vendas de PCs e periféricos. O executivo chamou a suposta prática de "pequeno segredo sujo".

Um comentário:

fatheroes disse...

Cara...ta ai uma coisa que eu nao tinha relacionado ainda.

Eh bem capaz mesmo que as empresas de placas de video, por exemplo, possam de alguma forma estar envolvidas na pirataria. Grana pra eles nao eh problema, compra um jogo original, repassa pra algum grupo ou alguem especifico de confiança...e pronto. Cai na internet, nas redes p2p... e ta feita a alegria de milhoes de pessoas.

Vida longa aos disseminadores dos torrent... pelo menos enqto eu nao tiver grana pra bancar um original. kk